Cromo somos XX!

Essa é uma história verídica que ilustra como o mundo das mulheres se articula.
Há dois anos atrás, minha filha Nara completou dez anos. Minha sogra, senhora de muitas posses, resolveu dar uma festa. Mas uma festa daquelas que se aluga salão e tudo. Nada de bolinho em casa não. Coisa chique. Assim, pela primeira vez aqui em casa, comemoraríamos o nascimento de alguém sem ter que alugar mesas, colocar a lona azul no quintal para proteger os convidados das intempéries e comprar pratinhos e copos descartáveis. Era, definitivamente, uma festa de outro nível.
Porém, neste mundo há pessoas com noção e outras sem noção. Eu me enquadro no primeiro grupo. Minha sogra, pela própria definição desse grau de parentesco, no segundo.
– Elika, liga pro salão e marque um horário para a Nara no dia da festa. Quero minha neta lin-da. Manda a mulher fazer uns cachos no cabelo dela. Com o vestido que eu comprei minha neta vai ficar parecendo uma prin-ce-sa. Ah! E fala para a manicure passar um esmalte clarinho.
– Hum hummmm. – respondi.
Até parece. Pensei.
Minha filha só vai fazer dez anos! Que salão o quê! Minha sogra surtou de vez. Estava chocada com a ausência de discernimento de dona Greuza (sim, Greuza com G). Indignada liguei para minha mãe.
– Mãe, você não sabe a última da Greuza! Você acredita que…
Minha mãe é a pessoa certa nessas horas. No lugar das reticências aí em cima eu poderia falar qualquer coisa. Qualquer coisa que eu falasse ela ficaria chocada e estaria de prontidão ao meu lado, achando um absurdo seja lá o que fosse e me dando na hora alguma solução.
– Que absurdo, Elika! Não deixa não! Pode deixar que eu dou um jeito. No dia da festa eu arrumo o cabelo dela. Marca nada não!
Foi o que pensei e o que precisava ouvir. A vida seguiu. Minha sogra, virava e mexia, perguntava se eu havia marcado o salão e eu respondia hum hummmm. Daí ela gritava empolgadésima dizendo que não via a hora de ver a neta dela arrumada. Hum hummmm. Comigo é assim. Odeio ficar discutindo e corro por fora dando meu jeito. Eu e minha mãe, no caso.
No dia da festa, pela manhã, minha mãe apareceu aqui com uns bobs de cabelo e uma caixa de grampos. Chamou a Nara e com a bravura de um soldado foi a luta. Dividiu o cabelo da minha filha, começou a enrolá-los naqueles cilindros de plásticos vazados e no final, como num passe de mágica, tirou do bolso um spray. Eu quase bati palmas! Minha mãe é danada mesmo. Lembrou até do laquê! Depois colocou um lenço na cabeça da aniversariante e disse:
– No final da tarde eu volto.
A festa era a noite.
Era um dia daqueles de verão carioca. Um calor insuportável. Nara, que estava a cara da Dona Florinda, quis brincar na piscina o dia inteiro e eu, cheia de noção de tudo, passei o dia a impedi-la de cometer tamanha loucura. Comprei sorvete, vi filme com ela no ar condicionado…movi montanhas para fazê-la esquecer do diabo da piscina cheia de primos gritando descontroladamente e rindo alto. Que tanta graça tem em ficar numa banheira gigante jogando água uns nos outros?
Os convidados internacionais de Itajubá já haviam chegado. Estava quase na hora.
Minha mãe apareceu e com a segurança e a concentração de um atleta olímpico começou, seriamente, a tirar os grampos. Que ronquem os tambores! Não via a hora de ver minha filha linda e maravilhosa com os cabelos cacheadinhos como um anjinho sem ter que ficar duas horas no salão. Minha sogra tem cada ideia…
De repente não mais que de repente do riso fez-se o pranto, da calma fez-se o vento e do momento imóvel fez-se o drama.
Nara estava parecendo o Sidney Magal na época em que ele cantava Sandra Rosa Madalena!!!
– Se relá espeta! – Disse rindo a minha prima de Itajubá.
– Ai, jesuis, mãe! Greuza vai me matar se a Nara aparecer assim na festa-super-chique! E agora? Devia ter marcado o salão! Ai, jesuis! Que cabeça a minha acreditar que você sabia fazer cabelo! Mal penteia o seu…
Minha mãe, olhando séria a neta, disse-me aos berros:
– Calma! Você não esperou eu acabar! Calma! Eu ainda não acabei! Cala a boca e pegue o pente!
Que pente, mané, pente? Quem disse que pente entrava naquele ninho cheio de laquê! Aliás, que ideia de girico aquela de spray que deixa o cabelo duro. O jeito foi tentar desfazer os cachos com os dedos e o resultado final foi a imagem do Sidney Magal acabando de acordar de uma ressaca violenta. Ai, Jesuis crispim!
A sorte é que minha irmã Tatiana, a única que herdou os genes orientais zen do papai, diante daquele cenário esquizofrênico onde todos estavam vendo alguma coisa estranha no lugar da Nara, pegou a sobrinha e disse:
– Vai pra piscina.
Nara não precisou segunda ordem, saiu correndo dando cambalhotas e gritando urrú. Depois de cinco minutos, a tia-zen apareceu.
– Sai da piscina.
Dá-lhe banho, secador e baby liss (um cano que esquenta e modela os cabelos) e pronto! Minha filha estava perfeita, com uns cachinhos super delicados no cabelo. Parecendo uma boneca. Minha sogra ia ter um troço. E tudo isso sem precisar da ideia maluca de ir ao salão de beleza! Disse eu, triunfante, batendo a palma da minha mão direita na palma da mão direita de mamãe que, assim como eu, só ficou olhando a Tata fazer tudo.
No instante em que viu a Narinha arrumada chegando na festa, como previ, Greuza teve um piripaque de tão feliz que ficou ao ver a neta, completando seus dez aninhos (como o tempo passa rápido!) e dentro de um vestido ca-rís-si-mo que parecia ter sido feito especialmente para ela.
– Minha neta está lin-da, Elika!
– Hum hummmmmm. – Concordei emocionada e super feliz com a minha sogra.
Em menos de dez minutos de festa, os cachinhos se desfizeram e ninguém deu pela falta deles. Nem eu, nem Nara, nem minha mãe, nem minha irmã-zen  e muito menos minha sogra.
_______________________________________
Só lembrei-me dessa história agora porque estava aqui vendo alguns álbuns e deparei-me com essas fotos aqui:

21 Comentários

Arquivado em Crônicas, Filhos, fotos, Humor

21 Respostas para “Cromo somos XX!

  1. Morri de rir com o texto e com as fotos, que bela lembrança, como o tempo passa rápido…BeijosE a Nara, hein? Que docinho!

    Curtir

  2. Que maneiro!!!Não sabia que você conheciam o Bruce Willis.Lindo! Lindo! Lindo!

    Curtir

  3. CROMO SOMOS xx – simplesmente genial!

    Curtir

  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    Curtir

  5. OI Nélsu!Tudo por causa daquele agá dê que vc deixou aqui, lembra?Beijosssssss

    Curtir

  6. Anônimo 1,Meu marido não é a cara do Bruce?!? Eu mesma confundo os dois de vez em qdo…:-DAnônimo 2,Brigadíssima pelo comentário![]s aos anônimos

    Curtir

  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    Curtir

  8. Elika,O texto está ótimo!Ainda bem que vocês são zen porque eu não ia deixar minha foto com esse cabelo no blog de jeito nenhum!Beijos, Elise.

    Curtir

  9. 😀 É, Elise. Nara viu e nem esquentou. Morreu de rir lembrando toda a confusão do dia… 😀 Beijos

    Curtir

  10. uhasuahsuhaushaushuashuasheu ri muito. "Que cabeça a minha acreditar que você sabia fazer cabelo! Mal penteia o seu…"hahahahahahahahha…Essa eh a arte do improviso.Adorei! Sua filha eh LIN-DA.Bjos

    Curtir

  11. :-DPois é, Ingrid! O pior é que a minha mãe diz que dá jeito pra tudo e eu sempre acredito ela. QUASE sempre acerto.Quando erro, é isso aí.Beijos

    Curtir

  12. Criança é um ser iluminado mesmo, só acaba se embaçando com o tempo e a convivência. A ansiedade pela festa correndo solta, vestidos, bolos,balas, doces,salgados, bebidas e gasosas, tias, tios, avós, expectativas; e ela querendo ir pra piscina brincar. E as coisas conspiraram a seu favor, até que ela, de fato, fosse até lá e na brincadeira dela tudo magicamente se arrumou. Um francês maluco, disse ontem para mim: "Se as coisas pensassem e nos levassem com elas, por piores que fossem para nós, morreríamos cercados de poesia." Não havia entendido nada até então. Agora eu entendi. Festa é festa, tudo vira festa. Cômico, belo, denso e tenso o seu texto. Beijos com parabéns.

    Curtir

  13. É, Djabal.Esse francês aí deve ser um apaixonado, mas tem lá suas razões. 99%dos casos eu não penso diferente dele não.Grande beijo

    Curtir

  14. Nossa Mãe! Tantas fotos bonitas para botar no seu blog! Eu escrevi um texto! o endereço dele é http://sites.google.com/site/ntcsite/Home/contosLê!

    Curtir

  15. Sim, senhora! Só se for agora!

    Curtir

  16. hahahahahahahahahahahhaeu ri demaaaaais com essa história toda aí!ai, jesuis! hahahahaah, e mais uma coisa,a Nara é a coisa mais liiiiiiiiiiinda do mundo! linda demais, dá vontade de apertar!Beijões!

    Curtir

  17. karakola, que texto mais engraçado! Chorei de tanto rir e lembrar da cena. A sua cara na foto tá muito engraçada, quase mais engraçada que a foto da Nara.beijo mana,Tata-zen

    Curtir

  18. Rulliane,Cada coisa, né? Muito engraçada essa vida.Beijo enorme

    Curtir

  19. Olha lá, a Tata-zen aí gente!!!!Bom te ver aqui, Ta!Beijos enormes cheio de saudades!!!!

    Curtir

  20. Eka, estou sempre por aqui, só não sou muito de colocar comentários porque sou mais para quieta do que para tagarela. Mas sempre gosto de ler o que vc escreve.beijo da mana Tata-zen

    Curtir

Participe! Comente você também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s