Marielle

marielle

 

Não tem sido dias fáceis para mim. Estive com Marielle duas vezes e ambas dividindo uma mesa onde debatíamos feminismo e políticas públicas. Trocamos telefone e algumas mensagens. Em todas as nossas interações, ela me deu todo o apoio para eu ingressar na política.

Marielle não deixou de me falar a importância de aumentarmos a quantidade de mulheres no Congresso porque representatividade é o que há. Não me induziu a entrar no PSOL, pelo contrário. Disse que não importava o partido, mas sim estar dentro. Que não seríamos inimigas nunca. Orientou-me a pesquisar onde me sentia mais à vontade e cair dentro.

Não seria sem essa força que me filiaria ao PT. Se me expunha de forma comedida, com Marielle, perdi o medo e, como muitas(os) de vocês que me acompanham testemunharam, a minha posição política ficou bem clara. Postar minha foto ao lado de Lula, por exemplo, que é o homem que mais admiro neste planeta, em tempos como esses, só foi possível por me espelhar na coragem e na força de Marielle.

Ver a mulher que eu usava como fonte de inspiração ter o fim que teve fez-me repensar a vida. Ataque verbal e ameaça recebo todos os dias. Em alguns momentos, foram bem intensos e já cheguei a denunciá-los. Mas nada que me fizesse retroagir porque existia a Marielle. Se ela não se aquietava, por que haveria eu de me esconder?

Nove tiros. Caixão lacrado no velório porque foram quatro no rosto.

Por um lado, quero sumir. Por outro, sei que se fizer isso, a morte dela será em vão. Assim sinto. Ao menos as ideias têm que ser à prova de balas. Somente assim garantimos a vida para além da existência do corpo.

Ficaria menos assustada se ouvisse de quem apoiou o golpe alguma reação que mostrasse uma comoção pela morte de uma mulher tão forte, tão guerreira, que fez tudo tão direitinho, que representou tão bem todos que nela votaram.

Mas não.

Pelo contrário.

Há os insanos que debocham de tudo isso, mas há o pior: o silêncio dos que nos tangenciam e que cismam em acreditar que ainda estamos em uma democracia. Nem com a morte política de Marielle enxergam alguma coisa, tamanha foi a lavagem cerebral que sofreram.

Marielle foi muito. E foi tanto que não quero dirigir nenhum sentimento que não seja para ela. Tristeza, saudade, dor. Ela merece meu luto. Merece meu choro. Meu desespero.

Nem por um minuto Marielle merece que eu perca meu tempo deixando de sentir algo bom pelo fato de ela ter existido para sentir raiva de quem não consegue entender que Marielle só queria um mundo mais agradável de se viver.

Sigo pensando nos meus próximos passos, evitando dar voz para fascistas – como tenho visto muitos de vocês fazendo – e buscando um caminho que proteja a minha vida mas que, também e principalmente, faça valer a da mana Marielle.

Um comentário em “Marielle

Participe! Comente você também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s