CERN- Quase nos finalmentes…

Lá do restaurante do CERN, dependendo do dia, conseguimos ver o Mont Blanc que é a montanha lá atrás com a ponta branca. Essa foto foi batida por mim, na quinta-feira, dia 9 de setembro, antes do nosso dia começar.
E o dia começou com o pé direito com o curso sobre Aplicações da Física de Partículas à Medicina com o professor Luis Peralta do LIP (Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas). Para quem acha que médico não precisa saber física, saiba que lá no CERN tem um setor onde trabalham físicos e médicos buscando (e encontrando) a cura para vários tipos de câncer.
 Bonito demais ver a ciência aplicada. Bonito demais!
As demais palestras com os professores Gaspar Barreira (LIP) e a professora Rosalia Vargas (Agência Ciência Viva e Pavilhão do Conhecimento) foram legais também.
A tarde fomos conhecer o LINAC (onde os prótons são acelerados) e participamos de uma sessão experimental com uma Câmara de Nuvens. Daqui a pouco vocês vão ver as fotos.
Nessa placa, mostra quando o síncrotron (acelerador de partículas cíclico) foi inaugurado. Conseguem ver ou eu estou atrapalhando muito? É que eu tive que provar que eu estive lá…

Melhor assim?
Bom, e lá vou eu feliz e contente, mais uma vez, conhecer lugares super interessantes e perigosos.
Antes de continuar, tivemos que verificar se tínhamos sido contaminados com aquela radiação toda. Essa aí sou eu, cheia de medo:
Ufa! Posso continuar a visita…
Esse aí embaixo, como vocês podem ver é uma pequena parte de um grande equipamento. Eu já me esqueci para que serve, mas com certeza tem algo a ver com partículas, prótons, quarks…
Olha o acelerador aí, gente!!!
Parte do acelerador linear, responsável pelo primeiro aumento de velocidade dos prótons. Nesse aparelho as partículas, saindo do repouso, atingem uma velocidade de 0,3 da velocidade da luz (100 000 km/s). Outros aparelhos proporcionam aos prótons uma velocidade final de 99,9999 % da velocidade da luz.
Dá para acreditar que eu estive lá?
Bom, depois dessa visita ao LINAC aprendemos com o “prêmio Nobel” de fisica, o professor Mick Storr, como se constrói uma  câmara de nuvens.
Entenderam? Para quem quiser maiores detalhes dê uma olhada aqui, você será direcionado para o blog do professor Dulcídio, que foi comigo para o CERN.
Depois desse dia super cheio ainda fomos confraternizar com os colegas portugueses e moçambicanos e com os professores num churrasco português. Antes disso, havia uma pedra no meio do caminho.
Do meu lado esquerdo a França, do direiro, Suíça. Ainda estou dentro do CERN.
Fomos para o churrasco no ônibus de gente importante. Na sequência: Fábio, Medina, Euzinha, Alex, Soraia, Alexandre e a perua da Izabel.
Já viram um churrasco só de físicos? Ei-lo:

Pensa que não nos divertimos quando nos juntamos?
Ledo engano…
Como dizem os portugueses aqui (que não sabem falar português coisíssima nenhuma): eu sou a mais pequena.
O de avental vermelho é um professor de lá do CERN e o de amarelo eu não tenho a menor ideia de quem seja.

Ah sim!!! Esse é o Sandro Fonseca de Souza. Ele me pediu para que contasse a todos que ele existe. A dizer: ele é carioca, suburbano de Piedade, formado pela UERJ e está pesquisando lá no CERN!!! Se eu não o conhecesse eu também duvidaria que ele é real. Para aqueles que não acreditam que podemos chegar lá, estar junto dos melhores e contribuindo intelectualmente de alguma forma com tudo aquilo, eis a foto:
Sim, we can!!! Quer dizer…he can!!!

Churrasco sem música? Nerd não canta? Quem disse? Com vocês o professor Vitor Oguri!

Depois desse dia maravilhoso, hotel, skype com a família e cama!
Beijos e até o último capítulo dessa série!

16 comentários em “CERN- Quase nos finalmentes…

  1. Daniel!Só tenho a te agradecer (e publicamente desta vez) pelo incentivo, por ter acreditado em mim (mais do que eu). Se não fosse pela força (fraca, forte, eletromagnética e gravitacional) que vc me deu esse sonho não se realizaria.Obrigada obrigada obrigadaPS: Bohr??? Deve ter sido o governador de lá. 🙂

    Curtir

  2. Oi, Elika,Dias cheios, esses…Mais pequena, mas também chega lá!Para você ver…No meu 2o grau eu até era boa em física e especialmente geometria. Não é por acaso que estou na Radiologia. Agora eu estou estudando física de ressonância magnética. Quando eu conseguir entender direito o que é ADC numa sequência de difusão com b=0, b=80 e b=100, eu te aviso que estarei pronta para defender minha tese que é de ressonância magnética em glândulas salivares. Se você souber me ajudar…Beijos, Elise.

    Curtir

  3. A máquina que você ficou na dúvida, nada mais é que um tipo comum de cavidade supercondutora de rádio frequência para fonte de luz síncrotron. Uma das vantagens de se usar este equipamento é aumentar o tempo de vida do feixe de elétrons. Outra vantagem é aumentar o limite atual da instabilidade de microondas, que é uma fonte de propagação de energia.Qualquer outra dúvida pode perguntar para o Google, grande amigo meu, nunca me negou ajuda.beijos,Tata

    Curtir

  4. É, afinal das contas, um grande diálogo entre todos. Os de lá, os daqui. Mostrando, ensinando e com isso aprendendo. Como nós fazemos em todas as coisas. Fiquei com vontade de participar de um churrasco entre físicos. Talvez exista alguma diferença no cardápio. Bacalhau para os portugueses, picanha para os brasileiros, um tempero com o vinho de palma dos africanos, e uma Genebra para os suiços e quem sabe um copo de vinho para os franceses. Pronto está feita a festa. Aproveite ao máximo. Beijos.

    Curtir

Participe! Comente você também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s